CEASA Mato Grosso

Último dia do Primeiro Seminário Organizacional da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) é realizado no Hotel Fazenda Mato Grosso

25/11/2016
AYRTON LONGO
0 COMENTÁRIOS

 

  Hoje é o último dia do Primeiro Seminário Organizacional da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), que está sendo realizado no Hotel Fazenda Mato Grosso desde o dia 23/11. O evento foi realizado pelo Sindicato dos Trabalhadores da Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Pública (Sinterp-MT) em parceria com a Empaer, e contou com aproximadamente noventa participantes, entre técnicos e autoridades.

 

  A cobrança pela realização do evento partiu dos próprios colaboradores da Empaer, destacou Gilmar Bruneto, presidente do Sinterp. Ele afirmou que diante da crise que o país se encontra, será muito importante otimizar o trabalho no campo por meio dos serviços de assistência técnica e extensão rural e pesquisas alternativas para aumentar a abrangência no atendimento com quantidade e qualidade.

 

  No ano passado a Empaer atendeu aproximadamente 40 mil famílias, onde pequenos agricultores foram beneficiados com projetos no valor de R$ 93,2 milhões em recursos através do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). A empresa já possui 52 anos desde sua fundação e atua em 85% dos 141 municípios do Estado de Mato Grosso.

 

  Para Layr Mota, presidente da empresa, o grande desafio é transformar o pequeno produtor em classe média rural. Atualmente, os agricultores familiares são responsáveis por mais de 70% dos alimentos hortifrúti consumidos no nosso Estado. “O estado chegou a ter aproximadamente 150 mil famílias de pequenos produtores e muitos deixaram suas propriedades por falta de apoio,”. Hoje, o número de famílias é de 104 mil. Ele também ressalta a importância da realização do seminário, pois é a oportunidade de debater sobre a agricultura familiar, além de estimular os colaboradores a contribuírem com sugestões e novas ideias para melhorar a vida dessas famílias.

 

  Nos painéis sobre políticas públicas do Estado para a agricultura familiar, a diretora técnica operacional da Ceasa/MT, Dolorice Moretti, teve a oportunidade de explicar a importância que a Central de Abastecimento terá em nosso Estado após a construção da estrutura física, onde serão comercializados todos os produtos.  Ela citou os dois projetos que a Central está trabalhando atualmente. O primeiro é o projeto “Entreposto”, que está sendo elaborado em parceria com a Seaf e Empaer, servindo para alavancar a comercialização dos produtos da agricultura familiar em Mato Grosso. O segundo é o “Cultivar Para Transformar”, um projeto de financiamento para 400 famílias rurais, de até R$ 25 mil cada. Esse em parceria com a Seaf, Empaer e MT Fomento.

  No debate sobre os painéis, Dolorice falou sobre a perspectiva de replicar o projeto Entreposto, após a pergunta de um participante. “O projeto é bem complexo. Ainda é experimental e necessita de muitos fatores, um deles é o prédio para a comercialização, pois o primeiro já está construído na Av. Mario Andreazza em Várzea Grande. Outro fator é o do transporte, pois na maioria dos casos, os agricultores familiares não conseguem comercializar seus produtos porque não possuem condições de leva-los. A Seaf disponibilizará 4 veículos para buscar os produtos, além das prefeituras e cooperativas que contribuirão no transporte desses alimentos.” 

 

  Ela também afirmou que caso a demanda não seja atendida pelos 14 municípios do Vale do Rio Cuiabá, outros municípios poderão ser incluídos. Outra possibilidade de replicar o projeto será expandir em outras cidades, pois já houve interesse de Cáceres e Lucas do Rio Verde. “Primeiro aqui, futuramente em outros locais”.



Comentários

Novo Comentário

Nome

E-mail

Mensagem

O valor da soma 1 + 5 é: